Dança Oriental, muito além dos benefícios para o corpo

14/10/2011 - 00:00:00 | 135

Conhecida como “dança do ventre”, através desta dança a mulher redescobre a feminilidade e aumenta a autoestima

\r\n Denominada "dança oriental" pelos tradicionais e estudiosos,  originalmente, o seu nome vem do árabe: Racks el Sharqi, cujo significado é “dança do leste”. Para os franceses, é “danse du ventre”, para os americanos, “belly dance”. Para a maioria ocidental, “dança do ventre”.
\r\n
\r\n Considerada uma das formas de arte mais antigas, a dança oriental foi influenciada por diversos povos do Oriente Médio. Na época em que surgiu, as dançarinas eram iniciadas ainda muito pequenas e vinham de famílias ou tribos que a transmitiam de geração em geração. Com o tempo, foi levada para outros países e recebeu a influência de outras danças, como a clássica, ganhando cada vez mais adeptas. Hoje é conhecida e admirada em todo o mundo, e os seus princípios e técnicas permitem que seja acessível a mulheres de todas as idades, raças e medidas.
\r\n
\r\n Na dança oriental, as partes física,  mental e espiritual são trabalhadas em conjunto. Os movimentos corporais acontecem através da contração, ondulação e vibração, sempre em harmonia com os ritmos e melodias árabes. Movimentos que expressam os sentimentos, a alma e a beleza feminina. Durante as aulas trabalha-se o alongamento e a postura, mas também o relaxamento e desbloqueio dos lados físico e mental. Mãos e braços ondulam, quadris e torso oscilam, ombros, cabeça e olhar... Na dança oriental, movimenta-se o corpo todo. No início, apenas movimentos básicos que, conforme o desenvolvimento e dedicação da aluna, são enriquecidos por giros, cambrées e trabalho de chão.
\r\n
\r\n Entre os benefícios ao corpo, destacam-se a queima de gorduras; tonificação e enrijecimento da musculatura do abdômen, pernas, braços, costas e glúteos; ativação da circulação do sangue; movimento das articulações e reeducação postural. Além disso,
\r\n melhora o desempenho muscular, a flexibilidade, a resistência física e a coordenação motora. Dançar alivia o estresse e as cólicas menstruais, equilibra as funções sexuais e atua diretamente no centro de energia do corpo, que está justamente localizado no ventre, distribuindo esta energia de forma equilibrada para todos os órgãos.
\r\n
\r\n A dança oriental leva a mulher pelo caminho da redescoberta do próprio corpo e do “eu”.
\r\n Ela passa a se aceitar melhor, melhora a autoestima, aflora a sensualidade e a segurança. E, depois de tudo isso, ainda funciona como um importante estimulante para buscar uma alimentação saudável e melhora da saúde.
\r\n
\r\n Para dançar, basta usar roupas leves e confortáveis. Calçados são dispensáveis. A dança oriental utiliza elementos como espada, véu, bengala, snujs (espécie de castanhola de metal), punhal, candelabro, jarro, taças e pandeiro. Equilíbrio, coordenação e criatividade a toda prova!
\r\n
\r\n Por: AgComunicado
\r\n       

\r\n


  • Produtos relacionados
  • Comentários

Produtos relacionados


É necessário se logar no site para enviar um comentário.







Super produtos