Entorse do Tornozelo: dor e inchaço variam conforme a gravidade da lesão

09/11/2011 - 00:00:00 | 110

Pernas com músculos fracos, uso de calçados inapropriados e ligamentos frouxos são causa deste tipo de lesão

\r\n Para torcer o tornozelo não é preciso muito: basta caminhar por calçadas e ruas esburacadas ou desniveladas, ou então aderir aos calçados saltos finos e altos ou, simplesmente, praticar o seu esporte favorito, pisar em falso e... pronto! O tornozelo roda para fora, fazendo com que a planta do pé fique voltada para dentro. Está configurada a torção ou entorse do tornozelo, lesão muito comum na qual os ligamentos (tecido elástico e resistente que liga os ossos entre si) são alongados até o extremo, causando o seu rompimento parcial ou total.  
\r\n
\r\n Além das razões já citadas que aumentam o risco de torção, há outras como os ligamentos frouxos dos tornozelos, os músculos fracos das pernas, lesões nos nervos das pernas e certas maneiras de caminhar. É comum, após o entorse, sentir dor e inchaço. O local pode até ficar arroxeado e quente.
\r\n
\r\n A dor e o inchaço variam conforme o grau de gravidade da torção: leve, se o tornozelo não doer nem inchar muito; moderada, se o ligamento sofrer uma laceração parcial; grave, se o ligamento se romper completamente, causando inchaço, dor intensa e, em alguns casos, até sangramento sob a pele.
\r\n
\r\n Em seguida à torção, não apoie o pé no chão e aplique gelo por cerca de 20 minutos. Mantenha o pé elevado, e consulte um especialista para avaliar a gravidade da lesão, pois pode ser necessário imobilizar o tornozelo durante algum tempo. Os exames visam verificar se houve rompimento ósseo, e para isso é usada a radiografia. O período de imobilização varia conforme a gravidade da torção: para as leves, enfaixar pode ser  suficiente; para as moderadas, um aparelho gessado (tala ou bota) que permite se deslocar.
\r\n
\r\n Já a cirurgia é indicada para os casos muito graves e atletas. Em geral, apenas a suspensão das atividades e o uso de medicamentos, segundo orientação medica, já resolvem o problema. Antes de retomar as atividades esportivas, é imprescindível  recuperar os movimentos, a força e o equilíbrio na região lesionada – só então, e após  nova avaliação medica, as atividades físicas poderão ser retomadas.
\r\n
\r\n A fisioterapia é fundamental no tratamento. Não force, tudo deve ser feito respeitando os limites do seu corpo. Como proteção, pode ser indicado o uso de uma tornozeleira ou enfaixamento. Ao retomar os exercícios físicos, comece com movimentos simples e leves.
\r\n
\r\n Por: AgComunicado
\r\n       

\r\n


  • Produtos relacionados
  • Comentários

Produtos relacionados


É necessário se logar no site para enviar um comentário.







Super produtos