Só quero chocolate!

03/10/2011 - 00:00:00 | 132

Ele controla a pressão arterial, combate os radicais livres, acentua a sensação de prazer... é permitido comer sem culpa, com moderação!

\r\n Os especialistas o classificam como um alimento com propriedades altamente benéficas ao organismo, desde que consumido de forma controlada. Isso quer dizer: não dá para devorar uma barra inteira ou uma caixa por dia. Estamos falando do chocolate, velho conhecido dos maias e astecas já no ano de 1.500 a.C. O cacau, principal matéria prima do chocolate, é rico em fenóis ou flavonoides, os mesmos antioxidantes presentes no vinho tinto, que agem como antioxidantes e neutralizam os radicais livres, diminuem o mau colesterol (LDL) e aumentam o bom colesterol (HDL), melhorando a circulação do sangue e reduzindo a probabilidade de desenvolver a aterosclerose.
\r\n
\r\n Outra característica já atribuída ao chocolate é a sua capacidade de atuar no controle da pressão arterial. Diversas pesquisas, como a realizada em Colônia, na Alemanha, concluíram que o equivalente a 1/5 de barra pequena de chocolate amargo (6 gramas) diários, ou 30 calorias, são suficientes para reduzir a pressão arterial e, como consequência, diminuem os riscos de AVC ou ataque cardíaco. Este estudo demonstrou que houve uma queda da hipertensão nos pacientes estudados de 86% para 68%.
\r\n
\r\n Entre todos os tipos encontrados no mercado – chocolate ao leite, branco, amargo e meio amargo – os dois últimos são os mais ricos em substâncias antioxidantes. Os pesquisadores explicam que, desde consumido com moderação, até a gordura saturada presente no chocolate pode ter efeitos positivos, pois é transformada em ácido oleico no fígado, que funciona como um desentupidor de artérias.
\r\n
\r\n Assim, podemos apreciar um pedaço de chocolate sem culpa. Além destes benefícios para a saúde, o chocolate ainda eleva os níveis de serotonina (hormônio do bem-estar) e feniletilamina (associada à “química do amor”) no organismo, melhorando o ânimo, o bem-estar e a disposição, e constitui uma excelente fonte de energia.
\r\n Preste atenção, mesmo assim, ao alerta da Fundação Britânica para o Coração: o chocolate é "um prazer, e não um tratamento". Coma sem culpa, mas com moderação. Tudo em excesso faz mal, e com o chocolate não é diferente.
\r\n
\r\n “Alimento dos deuses” – A origem do cacau remete às terras baixas do México e da América Central. Era cultivado pelos astecas e maias, e durante muito tempo o utilizaram como moeda, pois o consideravam valioso. Seu nome científico foi dado por um sueco, Carl Von Linne, quem o chamou de Theobroma cacao, o que significa “cacau, alimento dos deuses”. Os astecas costumavam preparar com o cacau uma bebida amarga e fria, à qual adicionavam pimenta e outras especiarias. Chamavam esta bebida de "xocolatl" ou "chocoatl", que quer dizer: “água amarga”. Foi no século XVI que o chocolate ganhou a Europa, quando para lá os espanhóis o levaram e mudaram o seu sabor ao adicionarem  açúcar, canela e baunilha. No século seguinte, seria introduzido na Alemanha, França e Itália. Por volta de 1875, o o suíço Daniel Peter acrescentou-lhe o leite em pó, inventado por seu conterrâneo Henri Nestlé, e apresentou ao mundo o chocolate ao leite. Estava lançada a tentação!
\r\n
\r\n Por: AgComunicado
\r\n       

\r\n


  • Produtos relacionados
  • Comentários

Produtos relacionados


É necessário se logar no site para enviar um comentário.







Super produtos