Varizes: preocupação deve ir muito além da estética

26/08/2011 - 00:00:00 | 134

Fatores como o fumo, herança genética e reposição hormonal influem para o seu aparecimento

\r\n Elas provocam dores e incomodam muita gente. A Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular estima que no Brasil mais de vinte milhões de pessoas sofrem com as varizes (do latim: varix = serpente), veias dilatadas e sinuosas que se formam sob a pele, principalmente nas pernas, coxas e pés.
\r\n
\r\n Enquanto as artérias tem como função levar para as células o sangue bombeado pelo coração, as veias, por sua vez, tem o papel de drenar o sangue de volta para o coração. As veias dos membros inferiores possuem estruturas delicadas, porém resistentes, chamadas válvulas venosas que se abrem permitindo a passagem do sangue para cima, e em seguida se fecham para que ele não retorne.
\r\n
\r\n Com o tempo, e devido a vários fatores como a hereditariedade, as veias perdem a elasticidade e passam a dilatar-se. Consequentemente, as válvulas não se fecham mais de maneira eficiente e o sangue passa a refluir e a ficar parado dentro das veias, o que provoca mais dilatação e mais refluxo. Esta dilatação anormal das veias leva à formação das varizes, que podem ser de pequeno, médio ou grande calibre. Podem ainda constituir-se em minúsculas ramificações, de cor avermelhada, que despertam apenas uma preocupação estética – são a micro varizes (ou aranhas vasculares ou telangiectasias).
\r\n
\r\n As mulheres são a que mais sofrem com as varizes por causa dos hormônios femininos, pois a progesterona favorece a dilatação das veias. Entre os fatores de risco estão: a
\r\n idade (as varizes começam a aparecer a partir dos 30 anos, e pioram com o passar dos anos), gestação, menstruação, menopausa, fatores hereditários, excesso de peso, traumatismo nas pernas, exposição exagerada ao calor (sol, saunas etc), tabagismo, sedentarismo, uso de anticoncepcionais e reposição hormonal.
\r\n
\r\n Entre os principais sintomas estão a sensação de queimação nas pernas e planta dos pés, inchaço, coceira, cansaço e fadiga nas pernas, câimbras. Basta um exame visual para verificar e confirmar o diagnóstico de varizes. A ultrassonografia com Doppler ajuda a mapear as veias comprometidas.
\r\n
\r\n Hoje existem diferentes tipos de tratamentos, como a escleroterapia química, para as micro varizes ou vasinhos; a cirurgia, cada vez menos agressiva, pode ser realizada através de mini incisões, com tempo mínimo de internação hospitalar; técnicas que fazem uso do laser, muitas ainda em estudo, e a radiofrequência. Quando não tratadas de forma correta, podem progredir e trazer complicações como eczemas, dermatite, flebite, trombose, escurecimento da pele, hemorragias e formação de úlceras.
\r\n
\r\n Por: AgComunicado

\r\n


  • Produtos relacionados
  • Comentários

Produtos relacionados


É necessário se logar no site para enviar um comentário.







Super produtos